segunda-feira, 31 de outubro de 2011

O PRESBÍTERO E A IGREJA DE CRISTO

DIA DO PRESBÍTERO


No Domingo (07/08) a IPB comemorou o Dia do Presbítero, dia muito especial para as Igrejas Presbiterianas, e também para as UPH's, Federações, Sinodais e CNHP, pois grande parte dos Presbíteros são sócios de suas UPH's. Cumprimentamos a todos, pela passagem do seu dia, e em homenagem a todos postamos o artigo (pastoral) escrito pelo Rev. Gilson Moreira, Pastor da I IPB de Cariacica - ES, e Presidente do Sínodo Central Espiritossantense (SCE).

O PRESBÍTERO E A IGREJA DE CRISTO

Segundo as Escrituras o vocábulo presbítero, do grego: “presbyteros”, significa ancião; e “presbys”: idoso, ambos designando a pessoa mais madura e experiente, principalmente no que diz respeito a assuntos e práticas religiosas, bem como, espirituais. A primeira vez que aparece a palavra presbyteros no Novo Testamento é em Mateus 15.2, aí traduzida para “anciãos”. A participação dos anciãos em decisões com liderança religiosa está explicitamente exposta no Novo Testamento, por exemplo, em Mateus 21.23; 26.3,47,57; e 27.1.3.12; etc.

Deve-se observar que no primeiro capítulo de Atos encontramos a Igreja reunida para a escolha/eleição do substituto de Judas, porém, não se faz nenhuma menção a presbíteros (At.1:21), apenas menciona sobre “... homens que nos acompanharam durante todo o tempo que o Senhor Jesus andou entre nós.” É possível que daí tenha surgido a ideia de se escolher presbíteros como sendo aqueles que tinham mais experiência em sua vida cristã; e não aqueles que sejam mais velhos em idade, no caso seriam os anciãos.

O termo presbyteros, referindo-se a certos irmãos que faziam parte da liderança da Igreja juntamente com os apóstolos, aparece pela primeira vez em Atos 11:30, e mais especificamente quando da realização do que é conhecido e chamado de o primeiro concílio da Igreja, como registra Atos 15.2,4,6,22,23 e 16.4. Depois, os presbíteros passam a se destacar como os novos líderes da Igreja cristã, pós era apostólica, designados ou enviados pelos próprios apóstolos, confira em Atos 11:30; 14.23; 20:17; 21:18; Tito 1.5; Tiago 5:14; 1Pe.5.1; 2 e 3 João 1. O próprio Senhor Jesus assim os reconhece, como nos revela Apocalipse 4.4, 10; 5.5,6,8,11,14; 7.11,13; 11.16; 14.3 e 19.4.

A IPB como igreja reformada, seguindo a prática bíblica de ter presbíteros assumindo sua liderança maior, é governada por Presbíteros, como o seu próprio nome: “Presbiteriana”, revela; cujo sistema de governo tem sua origem com John Knox, na Escócia, em 1560. Por isso, comemora-se hoje na IPB, o “Dia do Presbítero”.

Para o exercício deste ofício a IPB tem duas categorias de Presbíteros: 1) Presbítero Regente – que exerce o seu ofício voltado mais para superintender a vida administrativa da Igreja local, regional e nacional; 2) Presbítero Docente – sua principal função é o de exercer o pastorado da Igreja, o ensino, orientar quanto ao culto, a liturgia, a doutrina e a administração junto com o presbítero regente.
Uma das diferenças básica entre o presbítero regente e o docente, é que o regente para o exercício de sua função não precisa fazer seminário e nem ter nenhuma formação e muito menos curso superior; já o presbítero docente, para a realização de suas funções, isto é, para assumir o pastorado da Igreja e de tudo que o ofício requer, necessariamente tem que fazer um seminário teológico e, ao depois de cumprir todas as exigências constitucionais, ser ordenado ao Sagrado Ministério por um presbitério da IPB. Só a partir de então é considerado e reconhecido como presbítero docente, isto é, pastor presbiteriano.

Por outro lado, há um nível de igualdade no exercício de suas respectivas funções, os presbíteros regente e docente, quanto a sua vida conciliar, como representantes da Igreja local no presbitério; e, do presbitério, no Sínodo e no Supremo Concílio; ou quando são eleitos, nomeados ou comissionados para qualquer cargo/função dentro da IPB em nível local, regional e nacional, em seus órgãos, autarquias, comissões, juntas e secretarias; um não está acima do outro, tratam-se e relacionam-se igualmente, devendo obedecer às regras de conduta conciliar. Aproveitamos essa oportunidade para parabenizar todos os nossos presbíteros nesse seu dia, Deus os abençoe!

Gilson.
Fonte: http://www.ipb.org.br/uph/portal/node/234

Divulgação: http://luis-cavalcante.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário